segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Os Caretos de Podence - uma memória da História


O Carnaval é uma das tradições populares que mais ligações desfruta com o passado histórico. O Carnaval em Portugal já foi conhecido como Entrudo, a entrada para quarenta dias de jejum de preparação para a Páscoa. Muitas das tradições que comemoramos têm uma raiz histórica.
Em alguns dos casos o tempo introduziu algumas alterações adaptando-se a novas formas da sociedade. Outras permaneceram com um imaginário revelador de todo o simbolismo que o viu nascer. O Carnaval é em larga medida a comemoração do fim da longa noite do Inverno e a comemoração da Primavera que se avizinha. Nele se podem observar os cultos de fertilidade da Natureza e a sua datação em alguns casos perdem-se no tempo. Esse é o caso da aldeia de Podence, no concelho de Macedo de Cavaleiros, os conhecidos caretos que no  Carnaval chocalham as moças, são uma das mais genuínas manifestações populares portuguesas.

Os caretos de Podence têm uma raiz na cultura céltica, povo que habitou a Península Ibérica no período pré-romano. Relaciona-se com outras culturas como a existência dos povos Galaicos (Gallaeci) e Brácaros (Bracari) na Galiza e no norte de Portugal. Existem igualmente fontes históricas que relacionam as máscaras de Podence a festividades romanas, onde existiam desfiles nas ruas, onde homens seminus vestidos com peles de animais participavam em manifestações simbólicas ligadas à fertilidade.

Os caretos são rapazes solteiros na tradição atual e que se apresentam como figuras fantásticas imbuídas de valores lúdicos e pagãos e a sua aparição por dois curtos dias representa o surgimento de forças ocultas e sobrenaturais que depois são purificadas na fogueira final. Os caretos vestem-se de forma muito colorida, com material feito em lã ou linho, vindo de peças familiares e trazem chocalhos à cintura com que afugentam os elementos femininos. Levam na mão um pau de freixo ou de castanheiro que serve de apoio quando correm.

O seu nome "caretos" vem da palavra "máscara" tendo o seu aspeto uma representação um pouco terrífica. São máscaras de latão que são pintadas de vermelho ou negro e que têm um nariz pontiagudo e com as aberturas para olhos e boca.

O seu aspeto é muito ameaçador, como "um diabo à solta". Os caretos de Podence revelam-nos as tradições rurais mais ancestrais de comunidades agrícolas que celebravam estes ritos no sentido de purificar os campos e aguardar a produção das terras que viria com a Primavera. Todo o ritual é uma tentativa de expurgar o mal de comunidades que viviam em dependência com a Natureza. É um Carnaval ainda autêntico com a memória histórica.
Conhecem-se manifestações semelhantes em outros locais de Trás-os-Montes, como Vimioso, em algumas aldeias dos concelhos de Vinhais, Bragança e mesmo no Alto Douro, como em Lazarim, no concelho de Lamego.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Faça o seu comentário